Domingo, 19 de Agosto de 2007

AI O MEU BENFICA!!!

Olá pessoal.

Hoje estou aqui para vos falar sobre o inicio do campeonato!

Ai, ai! O meu Benfica!!!

Mas quem foi que disse que o Fernando Santos era treinador para o Benfica?

Se calhar, o culpado até nem é ele, nem sequer o Luis Filipe Vieira. Para mim, o verdadeiro culpado é um senhor chamado José Veiga! Acho que não podiam ter arranjado pior dirigente para o futebol.

Para mim, parece-me que a ideia foi arranjar alguém que fizesse frente ao Pinto da Costa. Só que eu acho que o Sr. Veiga... por amor de deus... aquilo não é nada. Se é deste tipo de dirigentes que o o futebol benfiquista precisa, então mais vale mandar o futebol às urtigas.

Olha... apostem no ciclismo... afinal, o nosso querido clube, que já não tinha ciclismo há uma porrada de anos, até conseguiu fazer um brilharete na última edição da volta, no ano passado!!!

E o mais engraçado é que a grande aposta continua a ser o futebol, onde não ganhamos nada... parece impossível!!!   

Acho que alguma coisa tem que ser feita, e RAPIDAMENTE, para que as gerações vindouras não conheçam o nome BENFICA apenas pelos orgulhos passados, mas sim pelas vitórias presentes e futuras!!!

Ah!!! Convém não esquecer que, com os jogos realizados até ao momento, apenas na primeira jornada, o Benfica já está em 4 lugar, dentro das 6 equipas que já jogaram!!! Nem quero ver a nossa classificação, quando acabar a primeira jornada.

Agora respondam a este comentário, se tiverem argumentos!!!

Um grande até sempre!!

E VIVA O BENFICA!!!

sinto-me: Olha... nem sei!!!
música: "BLAZE OF GLORY", dos Bon Jovi
publicado por telmobio às 15:05
link | comentar | favorito
Sexta-feira, 17 de Agosto de 2007

Olá pessoal!!!

Olá a todos!

Pensavam que me tinha esquecido de vocês?

Não...

O que se passa é que ultimamente ando sem inspiração. Não tenho trabalho e a vida não tem sido fácil.

Contudo, enquanto há vida, há esperança e esse tem sido, basicamente, o meu mote.

A praia tem sido uma óptima válvula de escape para a minha tristeza.

Sinto que, apesar de tudo, sou um privilegiado, pois vivo à beira-mar, que não é o que se passa com muita gente.

Gostaria que este blog fosse mais participativo e, por isso, peço-vos:

ESCREVAM O QUE VOS APETECER!!!

Cá estarei para ler!... E COMENTAR!!!

 

Até Sempre!

 

Um forte abraço,

 

Telmo 

sinto-me: Triste, mas esperançado
música: Little by Little, dos Oasis
publicado por telmobio às 18:53
link | comentar | favorito
Terça-feira, 5 de Junho de 2007

Desabafo

Olá a todos.

 

Hoje estou aqui só para desabafar com vocês.

Isto no nosso país está uma seca.

Não há trabalho, está tudo cada vez mais caro.

Se por acaso, estiveem descontentes, expressem aqui o vosso descontentamento.

 

Um Abraço Amigo,

 

Telmo Bio.

sinto-me: A Apanhar uma seca
música: Riders on the Storm, The Dorrs
publicado por telmobio às 15:08
link | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 18 de Maio de 2007

Na senda das novas tecnologias

Olá amigos.

Aqui estou eu de novo, desta vez para abordar um assunto de extrema importância para todos.

O meu "post" de hoje vai versar as novas tecnologias.

Numa altura em que o nosso governo parece resolver apostar na formação profissional (estarei enganado???), a Fundação para a Divulgação das Tecnologias da Informação realizou, nas instalações do IPJ, em Aveiro, mais um módulo, desta vez sobre "Utilização Avançada de Internet".

Foi um módulo bastante interessante, onde tudo o que se aprendeu não foi, nem de longe, tudo aquilo que é possível saber (nem tal seria de esperar, uma vez que as novas tecnologias estão sempre em evolução e nunca é possível saber tudo).

Mas este meu "post" não foi criado para elogiar a Fundação, pois acho que o seu mérito é por demais evidente.

O curso foi bastante interessante, muito graças à monitora (Ana Rocha, sempre na frente!!!) e ao interesse extremo demonstrado por todos. O que eu acho muito triste é que estes cursos não sejam subsidiados a 100%, permitindo a todos a sua frequência, pois nem toda a gente tem possibilidade de pagar, por pouco que seja. Além disso, se o frequentador não tiver um PC à disposição regularmente, dificilmente conseguirá tirar partido a 100% de tudo aquilo que aprendeu.

É que estas coisas das novas tecnologias são muito interessantes, mas apesar de tudo nem toda a gente tem a possibilidade de ter um PC em casa. E, além de todos os esforços realizados, ainda não existem postos de acesso à internet em todo o lado, o que dificulta o tal acesso universal, tão apregoado pelo nosso Primeiro-ministro mas ainda tão longe de acontecer.

Apesar de saber que eu sou apenas mais um simples cidadão, este blog possibilita-me fazer chegar a minha mensagem a toda a gente que frequentar o ciberespaço, o que é precisamente o meu objectivo. Por isso, e estando eu na posse de tão poderoso meio de comunicação, deixem-me que coloque uma questão ao nosso PM:

Para quando uma ajuda monetária para a aquisição de computadores, uma vez que o senhor foi o primeiro a dizer que toda a gente devia ter acesso à internet? Em alternativa, para quando a tão desejada expansão dos postos públicos de acesso à internet???  É que, por exemplo, em Inglaterra (um país desenvolvido)  em qualquer canto e esquina existe um. A tão anunciada revolução tecnológica já devia ter começado. Acho que se pretendemos que o nosso país esteja na linha da frente do desenvolvimento, poderiamos começar por aí!!!...

 

Um abraço grande, amigos.

 

Telmo Bio

I.P.J. Aveiro

18 de Maio de 2007

 

 

sinto-me: Sarca´stico
música: "Ironic" de Alanis Morissette
publicado por telmobio às 10:05
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 16 de Maio de 2007

O Desemprego em Portugal ou o Estado da Nação

O desemprego em Portugal ultrapassou o meio milhão

por Eugénio Rosa [*]

CONCLUSÕES MAIS IMPORTANTES DESTE ESTUDO
Este pequeno estudo de investigação, utilizando dados oficiais publicados pelo INE, mostra:

1- O desemprego corrigido , calculado com base em dados publicados pelo INE, atingiu, no 3º trimestre de 2004, 516.500 trabalhadores ultrapassando, pela primeira vez, o meio milhão, e a taxa de desemprego corrigida 9,4%, ou seja, mais 38% do que a taxa oficial de desemprego que foi 6,8% (quadro I).

2- Segundo o INE, num ano apenas – 3T2003/3T2004 – foram destruídos em Portugal 141.200 postos de trabalho em quatro profissões -- profissões ligadas à agricultura e à pesca, e nos grupos profissionais “operários, artífices e similares”, “operadores de instalações, máquinas e trabalhos de montagem” e “trabalhadores não qualificados” -- que concentram mais de metade da população activa portuguesa, o que dá uma média mensal de 11.766 postos de trabalho destruídos nestas profissões, ou seja, 392 postos de trabalho destruídos por dia, incluindo sábados e domingos (quadro II).

3- Num ano apenas, o desemprego de longa duração (com um ano ou mais) cresceu 39,1% em Portugal, mas o desemprego de longuíssima duração (com 25 meses ou mais) aumentou 67,3%, o que revela dificuldades crescentes de uma parte significativa dos desempregados em encontrar emprego podendo estar a caminhar-se, se não forem tomadas medidas urgentes para inverter tal situação, para a exclusão social de um numero crescente e muito significativo de portugueses. (quadro III).

4- Cerca de 74% dos desempregados têm apenas o ensino básico ou menos, o que dificulta a sua reinserção no mercado de trabalho. Por outro lado, 97.200 desempregados (cerca de 26% do total) têm o ensino secundário ou superior (43.600 desempregados têm o ensino superior), o que indicia um elevadíssimo desperdício de mão-de-obra qualificada ou potencialmente qualificada num País de baixa escolaridade (quadro IV).

5- A verba inscrita pelo governo no Orçamento da Segurança Social para pagar subsídios de desemprego em 2005 representa, em relação ao orçamentado em 2004 para o mesmo fim, um crescimento de apenas 4%, o que é menos de metade do aumento verificada em 2004 (em 2004, aumentou 11,8%), e menos de um oitavo do crescimento registado em 2003 (em 2003, cresceu 34,8%). Tal facto, tendo em conta o crescimento previsível do desemprego em 2005 que os últimos dados do INE sustentam, só poderá indiciar ou um valor orçamentado claramente insuficiente para não ultrapassar o défice de 3% ou a intenção de reduzir o número de desempregados com direito a receber o subsidio de desemprego o que, a verificar-se, agravará ainda mais as dificuldades em que já vivem centenas de milhares de famílias em Portugal (quando V).
 


O DESEMPREGO JÁ ATINGE 516.500 TRABALHADORES SEGUNDO O INE

O 1º ministro afirma que os sacrifícios dos portugueses terminaram. No entanto, os dados sobre o desemprego, que é o problema mais grave com que se debatem os trabalhadores em Portugal, referentes ao 3º trimestre de 2004, que o INE acabou de publicar, revelam precisamente o contrário.

Assim, para além da taxa oficial de desemprego que já foi divulgada pelos órgãos de comunicação social e que, entre o 2º e o 3º trimestres de 2004, aumentou 7,9% pois passou de 6,3% para 6,8%, o que é um crescimento muito significativo num único trimestre, o INE também publicou outros dados sobre o emprego e desemprego em Portugal que é importante conhecer para se poder ficar com uma ideia clara da dimensão deste gravíssimo problema social e económico, que está a causar sacrifícios crescentes a centenas de milhares de famílias, assim como a sua previsível evolução no futuro.

O quadro I, construído com dados publicados pelo INE e disponíveis para toda a gente, permite fazer um balanço da evolução verificada, num campo fundamental para os trabalhadores, nos últimos três anos.

Quadro I – Evolução do desemprego oficial e do desemprego corrigido em Portugal
DESIGNAÇÃO 3º trimestre 2001 3º trimestre 2003 3º trimestre 2004
1- ACTIVOS – Mil 5.211,9 5.465,7 5.501,3
2- DESEMPREGO OFICIAL – Mil 209,0 335,2 375,9
3- Inactivos Disponíveis - Mil 69,9 91,9 80,3
4- Subemprego visível – Mil 37,0 52,8 60,3
5- DESEMPREGO CORRIGIDO - Mil = (2+3+4) 315,9 479,9 516,5
6- TAXA OFICIAL DE DESEMPREGO = (2 : 1) 4,0% 6,1% 6,8%
7- TAXA CORRIGIDA DE DESEMPREGO = (5: 1) 6,1% 8,8% 9,4%
Fonte: INE, Estatísticas de Emprego - 3º trimestre de 2001 e 3º trimestre de 2004

De acordo com o INE, os “Inactivos Disponíveis”, que constam do quadro anterior, são pessoas desempregadas, que desejam trabalhar e que estão disponíveis para isso, mas que pelo facto de não terem feito diligências para arranjar emprego nas últimas 4 semanas anteriores ao inquérito do INE, apesar de estarem desempregadas, não são consideradas no cálculo da taxa oficial de desemprego. E o “subemprego visível”, também constante do quadro, inclui aqueles que trabalham menos de 15 horas por semana, apenas pelo facto de não encontrarem um emprego com horário completo, apesar de terem declarado que desejam trabalhar mais horas, mas que também não são consideradas no cálculo da taxa oficial de desemprego.

Os dados do quadro anterior mostram que, entre 3º trimestre de 2001 e o 3º trimestre de 2004, o “desemprego oficial”, passou de 209 mil para 375,9 mil (+166.900 desempregados), enquanto o “desemprego corrigido”, que se obtém somando ao número oficial de desempregados os números do INE relativos aos “inactivos disponíveis” e ao “subemprego visível” constantes do quadro I, que são de facto desempregados, cresceu de 315,9 mil para 516,5 mil (+200.600 desempregados).

Em percentagem, no 3º trimestre de 2004, de acordo com os dados do INE, a taxa oficial de desemprego atingiu 6,8% dos activos, enquanto a taxa corrigida de desemprego alcançou 9,4% da população activa, ou seja, mais 38,2% que a taxa oficial.

NUM ANO FORAM DESTRUÍDOS EM PORTUGAL 141.200 POSTOS DE TRABALHO

O INE também publicou dados do emprego por profissões. E esses dados, constantes do quadro II, mostram bem a dimensão da gravidade da situação que atinge fundamentalmente os trabalhadores de menor qualificação profissional e/ou escolaridade.

Quadro II - Profissões onde se está a verificar destruição de emprego
GRUPOS PROFISSIONAIS 3º trimestre 2003
1000
3º trimestre 2004
1000
3ºT2004 - 3Tº2003
%
Agricultores e trabalhadores qualif. Agricultura, pescas 589,5 564,5 -25,0
Operários, artífices e trabalhadores e similares 1.034,8 958,8 -76,0
Operadores de instalações, maquinas e trab. Montagem 444,5 421,5 -23,0
Trabalhadores não qualificados 651,1 633,9 -17,2
TOTAL 2.719,9 2.578,7 -141,2
Fonte: INE, Estatísticas de Emprego – 3º trimestre de 2004

No último ano (entre 3T2003 e 3T2004), foram destruídos em Portugal 141.200 postos em apenas nas quatro profissões constantes do quadro II que representam mais de metade da população activa portuguesa, o que dá uma média mensal de 11.766 postos de trabalho destruídos nestas profissões, ou seja, 392 postos de trabalho destruídos por dia, incluindo sábados e domingos.

DESEMPREGO DE LONGUISSIMA DURAÇÃO AUMENTOU EM PORTUGAL 67% NO ÚLTIMO ANO

Como consequência da destruição maciça de postos de trabalho principalmente nas profissões ligadas à agricultura e à pesca, e nos grupos profissionais “operários, artífices e similares”, “operadores de instalações, máquinas e trabalhos de montagem” e “trabalhadores não qualificados”, o desemprego de longa duração está a aumentar de uma forma muito significativa em Portugal, como mostram os dados do INE constantes do quadro III

DURAÇÃO 3º trim. 2003
1000
3º trim. 2004
1000
Aumento em % entre
3º trim. 2003 - 3º trim. 2004
Menos de 1 mês 27,2 27,1 -0,4%
1 a 6 mêses 111,1 101,2 -8,9%
7 a 11 mêses 66,1 66,9 +1,2%
12 a 24 meses 73,0 85,6 +17,3%
25 e mais meses 56,3 94,2 +67,3%
TOTAL 333,7 375,0 +12,4%
12 ou mais meses 129,3 179,8 +39,1%
Fonte: INE, Estatísticas de Emprego, 3º trim. 2004

Assim, num ano apenas, o desemprego de longa duração – com um ano ou mais – cresceu 39,1% em Portugal, mas o desemprego de longuíssima duração – com 25 meses ou mais de duração – aumentou 67,3%.

Esta evolução revela uma dificuldade crescente da população que é lançada no desemprego em encontrar novo emprego.

MAIS DE 74% DOS DESEMPREGADOS TÊM APENAS O ENSINO BÁSICO OU MENOS

A conclusão anterior é reforçada pelos dados do INE sobre a escolaridade dos desempregados constantes do quadro seguinte.

Quadro IV – Nível de escolaridade da população desempregada
NIVEL DE ESCOLARIDADE 3º trimestre de 2004 % do TOTAL
Até ao Básico - 3º ciclo 278,6 74,1%
Secundário 53,6 14,3%
Superior 43,6 11,6%
TOTAL 375,8 100,0%
Fonte: INE, Estatísticas de Emprego – 3º trimestre de 2004

Cerca de 74% dos desempregados têm apenas o ensino básico ou menos, o que dificulta a sua nova reinserção no mercado de trabalho. Por outro lado, os dados do INE também revelam que 97.200 desempregados (cerca de 26% do total de desempregados) têm o ensino secundário ou o superior, o que é um elevadíssimo desperdício de mão de obra altamente qualificada ou potencialmente qualificada num País de baixa escolaridade.

O CRESCIMENTO DAS VERBAS APROVADAS PELO GOVERNO PARA PAGAR SUBSÍDIOS DE DESEMPREGO EM 2005 É MENOS DE METADE DO AUMENTO DE 2004

De acordo com os Relatórios que acompanham o Orçamento da Segurança Social, anexo ao Orçamento do Estado, para os anos de 2004 e 2005, as verbas para pagar subsídios de desemprego aumentaram da forma constante do quadro V:

Quadro V- Evolução do gasto e orçamento para pagar subsídio de desemprego

ANOS Subsidio de desemprego, apoio ao emprego, lay-off , etc. (milhões euros) Aumento (%)
2002 1.105,0  
2003 1.489,9 34,8%
2004 1.665,3 11,8%
2005 1.731,8 4,0%
Fonte: Relatórios OE 2004 e 2005

Embora o desemprego em Portugal continue a aumentar da forma preocupante como os dados anteriores do INE revelam, observa-se uma forte quebra no crescimento das verbas aprovadas pelo governo para pagar fundamentalmente subsídios de disponibilizadas em 2005..

Face aos números reais sobre o crescimento do desemprego em Portugal, a taxa crescimento das verbas aprovadas pelo governo para pagar subsídios de desemprego em 2005 – 41% do crescimento de 2004 e apenas 11,5% do aumento verificado em 2003 – poderá indiciar ou uma clara e insuficiente orçamentação para evitar apresentar um valor de défice orçamental superior a 3% ou a intenção de reduzir o número de desempregados com direito a receber o subsidio de desemprego o que, a verificar-se, agravará ainda mais os sacrifícios em que se debatem já centenas de milhares de famílias de trabalhadores.
 

20/Nov/2004
[*] Economista, edr@mail.telepac.pt .

Este artigo encontra-se em http://resistir.info .

 

De facto, o desemprego atingiu proporções disparatadas, segundo o artigo acima transcrito. Numa altura em que se fala tanto sobre a retoma económica, era se calhar importante erguer como bandeira o combate ao desemprego, mas fazer algo de concreto nesse sentido. O nosso PM, Eng.º José Sócrates, prometeu (durante a campanha que o elegeu) "mundos e fundos" nesta área, tendo feito a promessa de surgirem 150 mil novos postos de trabalho por ano. A questão não é essa, mas sim outra, ou seja, poderemos indagar o senhor PM, não sobre a razoabilidade desta promessa (já de si, bastante duvidosa), mas sim sobre o modo como pretende cumpri-la. E é aqui que surgem as primeiras dúvidas:

1 - Pretende o senhor PM criar novos postos de trabalhos (os tais 250 mil por ano) na função pública, aumentando ainda mais o peso da administração pública nas contas do Estado, o qual já é bastante elevado?

2 - Se o pretender fazer nas empresas privadas, quais serão as medidas a tomar para combater a actual lógica empresarial da reestruturação, pela extinção de postos de trabalho, substituindo-a pela lógica contrária?

3 - Ao fazê-lo, não estará a pôr em causa a competitividade das empresas portuguesas na UE e fora dela, uma vez que o custo da mão-de-obra é o que pesa mais no preço final dos produtos?

De promessas está o inferno cheio e, Senhor Primeiro Ministro, deixe que lhe faça a seguinte pergunta:

Não acha que os portugueses já estão a fazer sacrifícios mais do que suficientes pela recuperação da economia, para que lhes peça mais alguns?

É que o Estado (pelo menos o Português) não tem forma de aumentar o poder de compra das pessoas que trabalham no sector privado, na medida em que os salários aí auferidos dependem, não da vontade do Estado, mas em primeira análise da vontade dos patrões e, num horizonte mais vasto, da competitividade dessas empresas, na economia global.

O que nos leva a concluir uma triste realidade: a menos que parta da iniciativa do patronato, o aumento do poder de compra dos portugueses só será possível com algo que o Estado não quer, nem pode fazer: baixar os impostos.

Porque, apesar de tudo, deixem-me dizer-vos, meus amigos, que se em vez dos quase 2 milhões de FP, tivessemos só 1 milhão, provavelmente a máquina do estado funcionava na mesma e os gastos seriam 50 % inferiores. O problema é que esta solução não é assim tão fácil de adoptar. Estará o Estado disposto a mandar para a rua os seus quadros superiores que auferem valores absurdos, para harmonizar a economia? É que, infelizmente, casos como o do Sr. Paulo Macedo (ilustre ex-DGCI) não são casos-virgem. Se começarem por reduzir os ordenados dos detentores de altos calgos públicos, se calhar a despesa pública irá começar a baixar. É que não é admissível que existam no aparelho de estado pessoas que, sendo hierarquicamente dependentes do PM, aufiram vencimentos superiores ao deste, muito menos que sejam superiores ao do próprio Presidente da República (que como toda a gente sabe, é a figura máxima do Estado). Se, numa empresa privada o Administrador é quem aufere o vencimento mais elevado (pois, em última instância, é sobre ele que recaem as maiores reponsabilidades, sendo também a primeira cabeça "a rolar" quando é preciso colocar ordem na casa), no aparelho de Estado, quem deve auferir um vencimento mais elevado é o PR. Enquanto estas restruturações não forem feitas, então, meus amigos, deixe-me dizer-vos que nem Deus vindo à Terra resolve o problema. Precisávamos era de uma Margareth Tatcher.

Pensem nisto.

Um abraço amigo,

Telmo Bio.

publicado por telmobio às 14:47
link | comentar | favorito

Oasis

Esta é a banda mais espectacular do mundo.

Com um estilo de música definido como "hindi", as canções criadas maioritariamente por Noel e Liam Ghallager, apresentam uma qualidade extraordinária.

Para quem nunca tomou conhecimento do estilo musical dos Oasis, aconselha-se a audição do álbum "What's the Story, Morning Glory", no qual a canção como o mesmo nome se apresenta como uma espécie de cartão de visita.

Todas as canções desta banda têm uma mensagem, todas elas carregadas de bastante energia positiva.

As canções de Oasis representam, definitivamente, "luz".

Aconselho duas coisas:

1- Ir a www.oasisinet.com

2- Ouvir a musica "Don´'t look back in Anger", uma música extremamente positiva.

 

Num país onde o negativismo é quase norma, é importante dar às pessoas razões para poderem continuar a acreditar que afelicidade é sempre possível.

 

Um abraço amigo,

 

Telmo.

 

 

publicado por telmobio às 12:08
link | comentar | favorito

Bon Jovi

publicado por telmobio às 12:01
link | comentar | favorito

Bon Jovi

Bon Jovi is a Hard rock band originating from New Jersey. Fronted by lead singer and namesake Jon Bon Jovi, the group originally achieved large-scale success in the 1980s. The band has continued their success as one of the world's most popular and successful rock bands throughout the 1990s and 2000s.

They won their first Grammy in 2007 for "Best Country Collaboration" for "Who Says You Can't Go Home". Bon Jovi had previously been nominated for two other Grammy Awards, both for their 2000 smash hit It's My Life.

Bon Jovi has sold more than 35 million albums in the United States, and over 120 million albums worldwide, and has played live concerts in major cities in Canada, Asia, Europe, Australia, South Africa, and South America, in addition to a large number of cities in the U.S.

Bon Jovi has released nine studio albums, 2 best of albums, a live album, and a box set, with a tenth studio album due for release in 2007. Bon Jovi's biggest selling album is Slippery When Wet. The band has had seven number one albums on the European charts, six number ones on the World Charts, two number one albums in the USA and five number one albums in the UK. As well as many number one albums throughout Australia, Japan, Canada and Germany. Bon Jovi has had many smash hits around the world including "You Give Love a Bad Name", "Livin' on a Prayer", "Wanted Dead or Alive", "Bad Medicine', "I'll Be There for You", "Keep the Faith", "Bed of Roses", "Always", "It's My Life", "Everyday", "Have a Nice Day" and "Who Says You Can't Go Home".

 

Acedido em : 16-05-2006

 

http://en.wikipedia.org/wiki/Bon_Jovi

 

 

publicado por telmobio às 11:40
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. AI O MEU BENFICA!!!

. Olá pessoal!!!

. Desabafo

. Na senda das novas tecnol...

. O Desemprego em Portugal ...

. Oasis

. Bon Jovi

. Bon Jovi

.arquivos

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds